Mãe viaja com filho morto

Mãe viaja com filho morto de Saubara até Lauro de Freitas na Bahia; suspeito do crime seria o padrasto que deu pauladas na cabeça da criança

A mãe do garoto A.B.S., de dois anos, viajou com a criança já morta, de ônibus, entre Saubara e Lauro de Freitas, que ficam a 100 km de distância. A informação foi confirmada durante entrevista ao Grupo Aratu nesta terça-feira (8/2). Mãe viaja com filho morto

Veja também: Homem faz tatuagem no ÂNUS em protesto contra Bolsonaro

A avó da criança, Helena Gomes, disse que Benjamin foi assassinado com pauladas na cabeça, no dia 1º de fevereiro. A avó e bisavó maternas do garoto sustentam que o suspeito é o padrasto de Adrian, que convivia com a mãe dele.

Segundo os parentes, após perceber que o filho estava muito ferido e tentar medicar Benjamin por conta própria, a mãe o pegou e foi para a casa dos seus familiares. “Ela [mãe] falou que ele matou com uma pá. A mãe levou a criança para dentro de casa e perguntou o motivo de ele ter feito aquilo. Ela veio na rua com o menino morto, ninguém viu”.

“Estamos muito abalados. Não estávamos sabendo do fato direito. Eu pergunto: por qual motivo essa avó que estava lá, que viu essa pancada, por qual motivo ela não procurou nada? Ela consentiu em ficar com a criança morta. Ela estava encobrindo o filho dela”, perguntou a bisavó da vítima, Maria das Dores.

Entenda o caso:

Uma criança, de 2 anos, foi encontrada morta na noite da segunda-feira (7) na Rua Duque de Caxias, no bairro Caji, localizado na cidade de Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador. De acordo com informações da Central de Polícia, o caso aconteceu por volta das 21h e a criança foi vítima de espancamento.

Em entrevista, a família relatou que A.B.S. chegou carregado pela mãe, sem vida. O primeiro suspeito de ter cometido o crime é o padrasto da criança. O corpo do garoto foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Em nota, a Polícia Militar informou que a autoria e a motivação seguem sendo investigadas. Já a Polícia Civil, detalhou que a 27ª Delegacia – localizada em tinga – investiga as circunstâncias da morte de Adrian e que algumas pessoas já estão sendo ouvidas hoje. Além disso, a entidade disse que outras oitivas já foram agendadas.

Um minuto, por favor…

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras custa tempo e dinheiro. Nós, do DEOLHO News, temos o compromisso diário de levar até os leitores conteúdos críticos, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Se você acredita no nosso trabalho, apoie da maneira que puder ou, se preferir… Faça uma Doação CLICANDO AQUI

VEJA, NA ÍNTEGRA, A REPORTAGEM COMPLETA:

Compartilhe