Menina escreve data de nascimento e dia da sua morte no Facebook e se suicida

Menina escreve data de nascimento e dia da sua morte no Facebook

Menina escreve data de nascimento e dia da sua morte no Facebook e comete suicídio

No início da noite desta sexta-feira (23), um corpo foi  encontrando  por pescadores na praia da Redinha, zona Norte de Natal. Menina escreve data de nascimento e dia da sua morte no Facebook…

A adolescente, Hevelyn Oliveira,  contou para amigas e familiares que ia se matar pulando da ponte. A jovem antes de sair de casa falou que estava triste e não queria mais viver.

Leia mais: Menina é drogada e estuprada até a morte por um homem de 20 anos

Na redes sociais, postou a última  foto  com a data de nascimento e a data do dia de sua morte. Em seguida saiu de casa. Amigos não acreditavam que ela fosse  fazer o que prometera.

Menina escreve data de nascimento e dia da sua morte no Facebook

No início  da noite desta sexta-feira, pescadores viram um corpo boiando nas águas  da praia da Redinha, ao se aproximarem, constataram que seria de uma mulher. A confirmação  chegou após  familiares reconhecerem  o corpo.   Ela estava com a mesma roupa da foto  postada antes de cometer o ato  extremo.

Menina escreve data de nascimento e dia da sua morte no Facebook

O suicídio é uma forma inconsciente de autopunição. Pessoas que cometem suicídio sentem uma culpa muito profunda, e encontram na morte uma forma de se punir, quando o que elas buscam verdadeiramente é perdão.




A medicina e a ciência têm falado cada vez mais sobre como as experiências na vida intrauterina impactam a personalidade de uma pessoa. Todos os sentimentos, pensamentos e emoções dos pais são transferidos para o bebê durante a gestação, que passa a ter sentimento de culpa e outras interpretações distorcidas.

Se durante a gestação ou os primeiros anos de vida a pessoa interpretou que estava sendo rejeitada ou que não era amada, ela pode crescer com dificuldade de cultivar o amor próprio e de amar a vida como um todo.

Filhos não desejados, tentativas de aborto, mães com quadro depressivo durante ou depois da gestação, sofrimento fetal, rejeição, falta de amor, maus tratos e traumas de infância são algumas situações que podem desencadear patologias e pensamentos suicidas durante a vida adulta.




O bebê começa a sentir e registrar os sentimentos e emoções negativas dos pais como se fossem dele, podendo sentir culpa, falta de merecimento e pulsão de morte. Assim, a criança nasce e cresce com a ideia de que não merece viver. Essas interpretações ficam registradas no inconsciente da pessoa, e podem se manifestar em qualquer momento da vida, especialmente após sofrer algum trauma.

Menina escreve data de nascimento e dia da sua morte no Facebook

As experiências da infância podem intensificar ainda mais esses sentimentos negativos. Por isso, olhar para as informações que fazem parte do inconsciente de cada pessoa é fundamental para eliminar padrões, crenças e sentimentos que podem levar ao suicídio.

Compartilhe