Idosa de 67 anos é assassinada em Lauro de Freitas

Idosa de 67 anos é assassinada em Lauro de Freitas

Idosa de 67 anos é assassinada em Lauro de Freitas

Na noite desta segunda-feira (11) o corpo de uma idosa foi encontrado, no bairro de Areia Branca, em Lauro de Freitas. Idosa de 67 anos é assassinada em Lauro de Freitas

Leia mais: Se é filha da minha mulher então é minha, diz padrasto após estupro

Segundo informações policiais, Sonia Maria de Pontes, de 67 anos, foi encontrada sem os sinais vitais, na Travessa Dois de Julho, próximo a Praça Mangabeira.

De acordo com a fonte do DEOLHO News, o quarto estava revirado e os bandidos roubaram o veículo do casal, um Chevrolet Ônix cor prata.

Idosa de 67 anos é assassinada em Lauro de Freitas

A ocorrência foi registrada por volta das 20h. Não há detalhes sobre as circunstâncias deste homicídio. O caso segue investigado pela Polícia Civil do município.

Atlas da Violência: Lauro de Freitas fica em 5º lugar no ranking das cidades mais violentas do país

CONFORME O LEVANTAMENTO QUE SE REFERE AO ANO DE 2016, A CIDADE REGISTROU A TAXA DE 99,2 HOMICÍDIOS PARA A CADA 100 MIL HABITANTES.

O município de Lauro de Freitas, localizado na Região Metropolitana de Salvador (RMS), ocupa o 5º lugar no ranking das cidades mais violentas do país, de acordo com os dados do Atlas da Violência, divulgados nesta sexta-feira, 15, pelos Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Conforme o levantamento que se refere ao ano de 2016, a cidade registrou a taxa de 99,2 homicídios para a cada 100 mil habitantes. Para a Organização das Nações Unidas (ONU), taxas acima de 10 por 100 mil habitantes são consideradas epidêmicas.

Segundo o Atlas, entre as cinco cidades mais violentas do país, quatro são na Bahia. Além de Lauro de Freitas, os municípios de Eunapólis, Porto Seguro, Simões Filho também estão no ranking.

O levantamento trouxe os indicadores dos 309 municípios brasileiros que possuíam populações acima de 100 mil habitantes em 2016. Os Dados foram produzidos com base no Sistema de Informação do Ministério da Saúde.

 

Compartilhe