Adolescente

A Adolescente de 13 anos procurou a polícia justamente para denunciar que havia sido vítima da violência sexual cometida por vários homens. Oficial foi detido nesta quinta-feira (5), e outros 29 funcionários da delegacia, suspensos.

Uma Adolescente de apenas 13 anos de uma comunidade marginalizada na Índia tomou coragem e foi à delegacia de sua cidade denunciar ter sido vítima de estupro coletivo. No entanto, o policial para quem ela fazia a denúncia, no lugar de registrar o ocorrido, também estuprou a adolescente, afirmaram autoridades locais.

Veja também: Homem faz tatuagem no ÂNUS em protesto contra Bolsonaro

O policial foi preso nesta quinta-feira (5). O caso aconteceu no Estado de Uttar Pradesh, no norte do país, onde fica o Taj Mahal, o mausoléu que é Patrimônio Mundial da Unesco. E jogou luz aos casos frequentes de estupro a mulheres de uma minoria marginalizada à qual a adolescente pertence.

Segundo autoridades de Uttar Pradesh, a tia da menina também foi detida por suspeita de estar envolvida no crime. Outros 29 funcionários da delegacia foram suspensos de suas atividades acusados de conivência.

A adolescente pertence à comunidade Dalit, ainda marginalizada e alvo de estupro por parte de membros das castas superiores, geralmente alvo da indiferença policial.

Também esta semana, outra adolescente em Uttar Pradesh foi arrancada do carro onde estava com a tia e estuprada por quatro jovens, segundo o jornal “Times of India”. Os criminosos, de acordo com a mídia local, filmaram o estupro, e as imagens viralizaram nas redes sociais.

Segundo a imprensa local, o pai da menina afirmou que ela foi estuprada durante vários dias por quatro homens no mês passado. Os criminosos, de acordo com a mídia, sequestraram a menina.

A Organização Não Governamental Childline, que atende vítimas de crimes como o estupro, denunciou que a adolescente também foi estuprada pelo policial ao tentar denunciar o caso.

Indignação

O caso gerou revolta ao redor do país. Manifestações para chamar atenção para casos de estupro a adolescentes têm sido cada vez mais comuns na Índia.

Em janeiro, centenas de estudantes universitárias protestaram em Nova Deli depois que uma menina de 20 anos foi sequestrada, estuprada e espancada por uma suposta vingança de uma gangue local. Nas redes sociais, vários políticos e personalidades se manifestaram.

“Se as delegacias de polícia não são seguras para as mulheres, então aonde irão para fazer denúncias?”, questionou o deputado indiano Priyanka Gandhi Vadra, da oposição. “O governo de Uttar Pradesh pensou em aumentar a presença de mulheres nas delegacias, para torná-las mais seguras para as mulheres?”.

Em 2012, uma adolescente morreu na Índia após ser estuprada e torturada por vários homens em um ônibus em Nova Délhi.

Desde então, as leis e as penas relativas a estupro na Índia foram revisadas e endurecidas, mas o país continua registrando mais de 28.000 estupros declarados em 2020, segundo estatísticas oficiais.

Um minuto, por favor…

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras custa tempo e dinheiro. Nós, do DEOLHO News, temos o compromisso diário de levar até os leitores conteúdos críticos, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Se você acredita no nosso trabalho, apoie da maneira que puder ou, se preferir… Faça uma Doação CLICANDO AQUI

Compartilhe