Mulher que integra quadrilha de assalto a banco recebe Bolsa Família em MT

Quadrilha de 13 pessoas foi presa nesta quinta-feira (4) durante operação da polícia

Presa suspeita de integrar uma quadrilha de assalto a banco em Mato Grosso, a jovem  recebia benefício do Bolsa Família desde 2015. Os dados no Portal da Transparência, do governo federal, apontam que nos últimos dois anos, foram destinados pouco mais de R$ 3,6 mil para ela.

Além da jovem, outras 12 pessoas foram presas no âmbito da Operação Lexus. Ela não teria envolvimento direto nos crimes, mas usufruiria do dinheiro proveniente do crime.

 

Os integrantes da organização ostentavam com viagens, carros de luxo e barcos, custeados com dinheiro proveniente dos roubos, segundo a Polícia Civil. Fotos divulgadas por eles em redes sociais levantaram a suspeita.

Nesse ano, de acordo com o Portal da Transparência, ela já sacou R$ 326. Em 2015 e 2016, ela recebeu R$ 1,4 mil e R$ 1,8 mil, respectivamente.

A operação, deflagrada pela Polícia Civil em Cuiabá, Várzea Grande e em Poconé, a 104 km da capital, pretende cumprir 22 mandados de prisão preventiva e 14 mandados de busca e apreensão.

De acordo com a polícia, os bandidos cometiam os crimes, geralmente, aos finais de semana, e deixavam um rastro de destruição nas instalações físicas das agências, além de deixar a população sem os serviços bancários.

Lúbia foi presa e é acusada de integrar a quadrilha que assaltou pelo menos 10 agências bancárias no estado. Segundo a Polícia Civil, ela não tem relação direta com os crimes, mas tem ligação com os assaltantes, mas usufruía de viagens e passeios de luxo pagos com o dinheiro roubado.

A polícia passou a monitorar a quadrilha há 6 meses. Segundo as investigações, os integrantes do bando ostentavam em fotos publicadas nas redes sociais. Eles se exibiam em carros e barcos de luxo, viagens ao Rio de Janeiro, festas e passeios de helicóptero.

Na web, Gilberto Silva Brasil, apontado como chefe da quadrilha se autodenominava ‘Showman’. Em outras publicações, ele posou para fotos em pontos turísticos do Rio de Janeiro e em eventos no sambódromo, durante o carnaval deste ano. O G1 não conseguiu localizar a defesa do suspeito até a publicação desta reportagem.

Segundo as investigações, os ladrões tinham acesso aos cofres através de imóveis que ficam ao lado das agências bancárias. “Eles quebravam as paredes, entravam no estabelecimento, desligavam o sistema de alarme e tinham acesso total ao banco”, explicou o delegado Diogo Santana.

Operação Luxus
A operação deflagrada pela Polícia Civil em Cuiabá, Várzea Grande e em Poconé, a 104 km de Cuiabá, tem o objetivo de cumprir 22 mandados de prisão preventiva e 14 mandados de busca e apreensão. Os mandados foram decretados pela 7ª e 5ª varas criminais de Cuiabá e também pela Vara Criminal da comarca de Poconé. A operação conta com 70 policiais civis.

De acordo com a polícia, os bandidos cometiam os crimes, geralmente, aos finais de semana, e deixavam um rastro de destruição nas instalações físicas das agências, além de deixar a população sem os serviços bancários.

Compartilhe

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*