Juíza libera os assassinos do sargento

Juíza libera os assassinos do sargento Luís Carlos da Silva Castro de 56 anos,

Três envolvidos em morte de sargento da PM são soltos em audiência de custódia

Juíza Ana Paula Braga, libera os assassinos do sargento Luiz e causa revolta popular e indignação na web.

Leia mais: Atirou no peito, na boca e na testa dela por causa de um pedaço de bolo

Familiares do sargento reformado Luís Carlos da Silva Castro, 56, tentaram agredir os suspeitos. Um táxi foi depredado

Três dos quatro presos suspeitos de envolvimento na morte do sargento reformado da Polícia Militar Luís Carlos da Silva Castro, 56, em uma loja na Zona Leste de Manaus na quarta-feira (19), foram soltos após audiência de custódia na tarde desta sexta-feira (21). Familiares do sargento tentaram agredir o trio enquanto eles saíam do Fórum Ministro Henoch Reis, na Zona Sul de Manaus, depois da audiência.

Joelson Ferreira Soares, 21; Marcley Moraes de Souza, 20; e Charles Sanches Morais, 27, foram os três liberados. No termo da audiência, a juíza de Direito da Custódia Ana Paula de Medeiros Braga afirma ter vislumbrado a presença de “vícios” na soma da prova de materialidade do crime e indícios de autoria.

Josué Ferreira Soares, 19, teve a prisão em flagrante convertida em preventiva. Josué foi quem efetuou o primeiro dos mais de dez disparos que atingiram o sargento.

Confusão na saída do Fórum

Após a audiência de custódia Fórum Ministro Henoch Reis, familiares do sargento Luís Carlos da Silva Castro tentaram agredir o trio que foi solto. Os três correram para tentar fugir. Um dos suspeitos entrou em táxi que teve um dos vidros quebrados por uma pessoa que tentava atacá-los.

Quando ainda estava no estacionamento do Fórum, o grupo chegou a afirmar a imprensa que estava sendo liberado para que eles fossem mortos nas ruas.

Compartilhe