Auxilio Emergencial

Caso não seja possível arcar com a reestruturação do Bolsa Família, existe a possibilidade de mais rodadas do Auxilio Emergencial

Auxilio Emergencial: O Governo Federal vem enfrentando duras dificuldades para solucionar a questão do pagamento de precatórios. Assim, isso influencia diretamente na falta de orçamento necessário para a implementação do Auxílio Brasil. Desse modo, a pressão sob uma possível nova prorrogação do Auxílio vem se intensificando nos últimos dias.

Leia mais:  Homem faz tatuagem no ÂNUS em protesto contra Bolsonaro

Parte do governo quer aprovar o pagamento do Auxílio Brasil de R$ 300 a 17 milhões de famílias. Já outra, do setor político, defende uma nova extensão do Auxílio Emergencial. Nesse sentido, seria possível amparar quase o dobro de pessoas quando em comparação ao Auxílio Brasil. Este fato, contudo, pode ser extremamente danoso à economia do país, pois o aumento do número de despesas iria gerar um desequilíbrio ainda maior no setor fiscal.

Então, com a aproximação do processo eleitoral do próximo ano, membros do governo defendem que a gestão eleve ao máximo os gastos sociais. Além disso, o processo de uma nova prorrogação do Auxílio Emergencial contribuiria para o fortalecimento da popularidade de Bolsonaro, que anda fragilizada devido a polêmicas envolvendo a gestão da pandemia em todo Brasil.

Auxílio Brasil com orçamento de R$ 62 bilhões

O Auxílio Brasil, novo programa social que substituirá o Bolsa Família a partir de novembro, deverá contar com um tíquete médio de R$ 300. Além disso, o objetivo é que o programa chegue a cerca de 17 milhões de pessoas. Com isso, seu custo chegaria ao total de R$ 62 bilhões. 

Contudo, caso a implantação da medida de restruturação do Bolsa Família não ocorra, o governo não poderá lançar um novo programa social em 2022. A proibição se dá em razão das determinações da Lei Eleitoral, que impossibilita este tipo de ação em anos eleitorais. Por esse motivo, então, há ainda mais a pressão por uma nova extensão do Auxílio Emergencial. 

Integrantes da equipe econômica defendem que a implementação do Auxílio Brasil manteria a estabilidade e que outras soluções que poderiam ser adotadas não teriam o mesmo impacto. Assim, é possível uma repercussão negativa no mercado financeiro e nos cofres públicos.

Ademais, para além da criação do Auxílio Brasil, a elaboração de Vale Gás nacional ainda não está descartado. Isto é, já que o produto sofreu um aumento de cerca de 40% este ano. Logo, o Vale Gás seria uma alternativa às famílias que deixariam de receber o Auxílio Emergencial e que não se enquadram nos critérios do Auxílio Brasil.

Um minuto, por favor…

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras custa tempo e dinheiro. Nós, do DEOLHO News, temos o compromisso diário de levar até os leitores conteúdos críticos, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Se você acredita no nosso trabalho, apoie da maneira que puder ou, se preferir… Faça uma Doação CLICANDO AQUI

Compartilhe