Donald Trump chama “falhados” aos autores do atentado em Manchester

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, condenou, esta terça-feira, o atentado de segunda-feira à noite em Manchester qualificando de “falhados diabólicos” os responsáveis e apelou à união de “todas as nações civilizadas” no combate ao terrorismo.

“Não vou chamar-lhes monstros porque eles gostariam desse termo. Iam achar que era um ótimo nome. Vou chamar-lhes falhados daqui para a frente, é o que eles são. E vamos ter mais. Mas são falhados, lembrem-se disso”, disse Trump numa conferência de imprensa conjunta com o líder da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, em Belém, onde se encontra na sua primeira visita como Chefe de Estado.

Manifestando “solidariedade absoluta com o Reino Unido” o Presidente norte-americano defendeu que a sociedade “não pode ter tolerância com este derramamento de sangue” e disse que os responsáveis pelos atentados terroristas “têm de ser afastados para sempre”.

As suas ideologias, acrescentou, “têm de ser obliteradas” e “a vida tem de ser protegida”, afirmou ainda Donald Trump, apelando a “todas as nações civilizadas” para que se unam no combate ao terrorismo.

Pelo menos 22 pessoas morreram e 59 ficaram feridas numa explosão na Arena de Manchester, no norte da Inglaterra, na segunda-feira, no final de um concerto da cantora Ariana Grande, segundo o balanço mais recente da polícia.

O comandante da polícia de Manchester, Ion Hopkins, disse que as autoridades suspeitam que o responsável foi um homem apenas, que morreu na explosão e que “transportava um engenho explosivo improvisado, que detonou, causando esta atrocidade”.

As autoridades britânicas estão a tratar este caso como um “incidente de terrorismo”.

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*