Moema Gramacho

Desvendando o rompimento: Moema Gramacho exige explicações de Débora Régis nas eleições de 2020

por Léo de Topó 

A prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho (PT), trouxe à tona, em uma entrevista exclusiva ao Radar BNEWS nesta sexta-feira (1º), os detalhes e as incertezas que cercam o rompimento político ocorrido durante as eleições de 2020 com a então vereadora Débora Régis (PDT). Moema, que se sente ainda desapontada com a decisão da ex-aliada, demanda explicações claras sobre os motivos que levaram Débora a mudar de lado no cenário eleitoral.

Lauro de Freitas: Unidades de Saúde da Família (USFs) ampliam marcação de consultas e exames para atender a população

O desentendimento entre as duas políticas se deu a apenas 15 dias das eleições, quando Débora Régis surpreendeu ao anunciar seu apoio ao candidato Teobaldo Costa (União Brasil), concorrente de Moema na corrida pela prefeitura. Moema Gramacho expressou sua insatisfação durante a entrevista, questionando publicamente a razão por trás da mudança abrupta de alianças.

“Tem vergonha de dizer qual o motivo?”, indagou Moema, referindo-se a Débora Régis. A prefeita destacou a longa história de parceria política entre elas e ressaltou a surpresa ao ver a ex-aliada subindo em um trio elétrico ao lado de adversários políticos.

O momento crítico do rompimento foi relembrado pela prefeita, que, ao perceber Débora apoiando Teobaldo Costa junto a figuras como ACM Neto e José Carlos Araújo, sentiu que a traição estava consumada. Moema tomou a iniciativa de esclarecer a situação pessoalmente à mãe de Débora Régis, buscando transparência e respeito à relação que tinham.

Moema contou que a mãe da vereadora expressou sua decepção, afirmando que “não criou filha para ser traiçoeira”. A prefeita então confrontou Débora sobre o motivo do rompimento, recebendo uma explicação que considerou “esfarrapada”. Segundo Moema, Débora alegou que membros da equipe de Moema estavam sabotando sua campanha, colando materiais em seus cartazes na rua.

A resposta de Débora Régis não convenceu Moema, que considerou a justificativa pouco plausível. A prefeita expressou desconfiança sobre a origem dos supostos ataques, sugerindo que poderiam ser provenientes até mesmo da oposição na cidade. Moema argumentou que o problema poderia ter sido resolvido sem a necessidade de um rompimento político, enfatizando que não fez ofertas para manter Débora ao seu lado.

A situação permanece em aberto, e Moema Gramacho espera que Débora Régis esclareça de maneira transparente e convincente os motivos que a levaram a mudar de lado nas eleições de 2020. A falta de explicações plausíveis continua a gerar questionamentos e incertezas no cenário político local.

Um minuto, por favor…

Agradeço pelo interesse neste artigo! Se você apreciou o conteúdo e deseja contribuir, considere fazer uma doação de qualquer valor  CLICANDO AQUI.