Vídeo: Aconteceu no Maxxi Atacado de Lauro de Freitas ” Fui acusado de roubo e agredido” Diz Baleiro

Baleiro denuncia seguranças de supermercado por agressão e acusação de roubo

Um baleiro acusa os seguranças do Maxxi Atacado, de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, de agressão, constrangimento e calúnia. Mário Braga da Hora, de 23 anos, contou que entrou no supermercado, na tarde desta terça-feira (13), para comprar chocolates para continuar o dia de trabalho, já que sua mercadoria estava acabando, e foi acusado de roubo, além de ter sido agredido.

Ele explicou que estava com uma caixa de papelão com alguns chocolates e deixou no guarda volume e, após entrar e conversar com a gerente para pedir um desconto, já que ele tinha comprado os chocolates por um preço menor em Pau da Lima, saiu do supermercado e pegou a caixa que tinha deixado na entrada. Neste momento, os seguranças o teriam abordado e acusado de roubo.

“Falaram que eu tinha roubado os chocolates, sendo que não roubei nada. Se eles tivessem puxado nas câmeras teriam visto que eu não roubei nada. Eles deduziram, só porque viram minha mercadoria, e eu estava de camiseta, sandália e sou baleiro”, afirmou Mário.

Ele ainda explicou que os seguranças o colocaram para fora do supermercado e o agrediram com socos e um mata leão. “Os clientes que estavam lá todos viram. Inclusive, eu mesmo chamei a viatura, dois policiais ficaram comigo do lado de fora e um entrou. Vendo que não tinha nada contra mim, devolveram minha mercadoria e me liberaram”.

O jovem ainda teve um prejuízo de mais de R$ 300, pois o dinheiro das vendas estava em seu bolso e caiu quando ele foi agredido. Ele afirmou que precisa pagar o aluguel amanhã e não sabe como vai fazer, já que perdeu todo o dinheiro no estacionamento.

“Eu me senti constrangido, um supermercado daquele porte deveria ter certeza antes de acusar, eles têm câmeras, tudo isso”, afirmou o jovem.

Mário, acompanhada da advogada Juliana Costa, fez o Boletim de Ocorrência na Delegacia de Itinga. Ele explicou que os policiais militares, que atenderam à ocorrência, o aconselharam a procurar uma advogada para cuidar do caso. Após registrar a ocorrência, o jovem foi encaminhado para o Instituto Médico Legal para fazer o exame de corpo delito.

Juliana afirmou que, em posse do Boletim de Ocorrência, vai dar prosseguimento nessa fase criminal e entrar na Justiça com pedido de ressarcimento na esfera civil.

Em nota, o Maxxi Atacado informou que abrirá uma sindicância interna para averiguar os fatos e afirmou que “o respeito ao indivíduo faz parte dos valores da empresa e situações como a relatada são inaceitáveis e fora do nosso procedimento padrão”.

 

Veja vídeo:

Fonte: Bocão News

Compartilhe