Vice-presidente da Venezuela diz que ajuda humanitária está envenenada e é cancerígena

Vice-presidente da Venezuela

Vice-presidente da Venezuela diz que ajuda humanitária está envenenada

Milhares de venezuelanos reuniram-se na Colômbia a pedir a entrada urgente da ajuda humanitária.

A Vice-presidente da Venezuela disse na terça-feira que a ajuda humanitária internacional, enviada para ajudar os venezuelanos, está envenenada e é cancerígena.

Leia mais: Rapaz ganhou 1 milhão na loteria e usou máscara para a família não pedir dinheiro

Juan Guaidó prometeu, esta quarta-feira, que a ajuda internacional vai entrar no país no dia 23 de fevereiro com a ajuda de milhares de voluntários.

A crise política na Venezuela agravou-se em 23 de janeiro, quando Juan Guaidó se autoproclamou Presidente da República interino e declarou que assumia os poderes executivos de Nicolás Maduro.

Guaidó, 35 anos, contou de imediato com o apoio dos Estados Unidos e prometeu formar um governo de transição e organizar eleições livres.Nicolás Maduro, 56 anos, no poder desde 2013, recusou o desafio de Guaidó e denunciou a iniciativa do presidente do parlamento como uma tentativa de golpe de Estado liderada pelos Estados Unidos.

A maioria dos países da União Europeia, entre os quais Portugal, reconheceu Guaidó como Presidente interino encarregado de organizar eleições livres e transparentes.

Vice-presidente da Venezuela

A repressão dos protestos antigovernamentais desde 23 de janeiro provocou já 40 mortos, de acordo com várias organizações não-governamentais.À crise política soma-se a uma grave crise económica e social que levou 2,3 milhões de pessoas a fugirem do país desde 2015, segundo dados das Nações Unidas.

Compartilhe