URGENTE: Litoral da Bahia entra em alerta por risco de formação de ciclone

Litoral da Bahia entra em alerta por risco de formação de ciclone

Litoral da Bahia entra em alerta por risco de formação de ciclone tropical

O moradores do litoral Sul da Bahia, receberam o alerta da Marinha e Capitania dos Portos da Bahia, a respeito do mau tempo e risco de formação de ciclone tropical amanhã (23). As informações apontam que os ventos podem atingir 89km/h. Litoral da Bahia entra em alerta por risco de formação de ciclone.

Leia mais: Gororoba: Escolas de Lauro de Freitas oferecem ‘merenda estranha’ para crianças

O ciclone deve acontecer em alto-mar, por conta das condições climáticas de chuva intensa e ventos fortes.

No alerta, a Marinha recomendou que agências de passeios e condutores de embarcações de transporte marítimo, avaliem se há possibilidades de suspensão do trajeto. Além da classe, quem pratica esporte náutico, embarcações de esporte, recreio e de pesca não deve navegar em águas abertas.

O número de mortos na passagem do ciclone Idai subiu para 557 nesta sexta-feira (22), segundo autoridades citadas pela Associated Press.

Um balanço da Organização das Nações Unidas (ONU) indica que 259 pessoas morreram em Moçambique e 56 no Malawi. Já o levantamento do Ministério da Defesa do Zimbábue aponta que 259 morreram no país.

Na quinta-feira (21), a chefe do escritório humanitário da ONU para o sul e leste da África, Gemma Connell, afirmou que os números podem subir, principalmente em Moçambique, onde uma vasta região continua inundada.

O secretário-geral da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, Elhadj As Sy, afirmou que o número de mortes pode passar de mil, como o presidente de Moçambique havia previsto inicialmente.

Ele ressalta que a necessidade de ajuda humanitária é grande. “Eles não estão nem perto da magnitude do problema. Temo que veremos melhor nas próximas semanas e meses. Devemos nos preparar”, afirmou.

Ajuda difícil

A cidade da Beira, que ficou 90% destruída com a passagem do furacão na quinta-feira (14), tornou-se um centro para esforços frenéticos de resgate em toda a região.

Compartilhe