Travesti é enterrada como homem

Família velou a Travesti com terno e bigode feito a lápis

Representantes do movimento LGBT da cidade de Aracaju usaram as redes sociais para ‘denunciar’ que uma travesti foi enterrada pela família como homem. Conhecida como Lana, a falecida foi velada usando um terno, e tinha bigode – o que causou grande revolta em ativistas LGBTs.

Leia mais:  Homem faz tatuagem no ÂNUS em protesto contra Bolsonaro

Nas redes sociais, a vereadora trans Linda Brasil (PSOL-SE) afirmou que o ocorrido é “um crime”.

Estou indignada! Acabei de saber que uma travesti faleceu e que, no velório, a família vestiu nela um paletó, gravata e fizeram barba e cavanhaque a lápis. Isso é um crime! Não é porque é da família que há legitimidade para praticar transfobia deliberadamente. #TransfobiaÉCrime – escreveu a parlamentar.

A ativista trans Jéssica Taylor, da ONG LGBT Transunides, acusou a família de abandonar e desrespeitar Lana.

– Lana foi desrespeitada pela família, que colocou até um bigode nela e a enterrou de terno, indo contra a sua identidade de gênero. A família não aceitava a orientação sexual dela. Eu achei uma violência. Só quem é trans sabe o que já passou até conseguir assumir a identidade. Nem na grande despedida, que é a morte, ela foi respeitada. Lana morreu de tristeza – declarou.

Leia mais: Mãe de Gabriel Medina atacando Yasmin Brunet: “Tenho vídeo dela fazendo BOQUET*”. Veja o print

A família da travesti não se pronunciou sobre o ocorrido. Também não há informações sobre as circunstâncias da morte da travesti.

Um minuto, por favor…

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras custa tempo e dinheiro. Nós, do DEOLHO News, temos o compromisso diário de levar até os leitores conteúdos críticos, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Se você acredita no nosso trabalho, apoie da maneira que puder ou, se preferir… Faça uma Doação CLICANDO AQUI

Compartilhe