Travesti

Travesti contou também onde jogou a faca utilizada para matar a vítima

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) ouviu na tarde desta sexta-feira (3) a travesti acusada de matar um consultor de moda no último sábado (28) no bairro Rebouças de Curitiba. Ela confessa o crime e explicou detalhes do que aconteceu no dia.

Veja também: Homem faz tatuagem no ÂNUS em protesto contra Bolsonar0

Em entrevista para a RICtv, a travesti disse que golpeou Walter Luiz Mariano Machado, de 41 anos, com uma faca. A suspeita também contou que foi agredida por Walter dentro do carro. Os dois começaram a discussão porque a vítima não pagou pelos serviços prestados por ela.

A travesti revelou que andava com a faca, pois já tinha sido agredida por outros travestis, duas semanas atrás. A suspeita revelou também que a vítima desceu do veículo, abriu a porta, e voltou a agredi-la.

Quanto aos moradores em situação de rua, a travesti alega que eles foram chamados por Walter para ajudá-lo nas agressões. Só que os dois optaram por roubar a vítima.

Após o crime ela fugiu com a faca na mão usando um aplicativo de transporte e atirou o objeto pela janela. A travesti foi liberada depois de prestar depoimento na Polícia Civil, pois não houve flagrante.

Entenda o caso

Walter Luiz Mariano Machado, de 41 anos, foi encontrado morto com um corte profundo no pescoço dentro de um carro estacionado no bairro Rebouças, em Curitiba. A vítima foi localizada por moradores no cruzamento entre as ruas Engenheiro Rebouças e Lamenha Lins na manhã deste sábado (28).

Imagens mostram a travesti deixando o carro de Walter pouco antes do crime. O veículo está estacionado perto da rua Getúlio Vargas, no bairro Rebouças, em Curitiba. A região é conhecida como um ponto de prostituição da capital. Além dela, os dois moradores de rua também são investigados pela Polícia Civil.

Um minuto, por favor…

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras custa tempo e dinheiro. Nós, do DEOLHO News, temos o compromisso diário de levar até os leitores conteúdos críticos, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Se você acredita no nosso trabalho, apoie da maneira que puder ou, se preferir… Faça uma Doação CLICANDO AQUI

Compartilhe