Seu auxílio emergencial continua em análise? Veja o que fazer!

Seu auxílio emergencial continua em análise?

O Ministério da Cidadania informou que quem se cadastrou entre os dias 7 e 10 de abril e até agora não foi confirmado como elegível para receber auxílio emergencial pode retornar ao aplicativo da Caixa Econômica Federal. Seu auxílio emergencial continua em análise?

Veja também: Homem mata a namorada após ser contaminado por ela com coronavírus

O auxílio emergencial do governo federal foi aprovado no início de abril e os cadastros começaram no dia 7 deste mês. No entanto, mais de duas semanas depois, muitos beneficiários ainda não obtiveram uma resposta definitiva da situação do cadastro, permanecendo no status ‘em análise’.

Para estes casos a orientação da Caixa Econômica Federal é que o aplicativo seja atualizado, pois o sistema passou por melhorias. “Na segunda-feira (20), tivemos uma atualização do aplicativo para que ele se tornasse mais completo e trouxesse essa possibilidade de retorno da informação. Então, se alguém fez o cadastro até o dia 10 e não identificou a informação de aprovado ou não aprovado, recomendamos que atualize sua versão do aplicativo para que ele possa ter essa informação”, disse o representante da Caixa, Denis Mathias.

Ele ainda explicou que nesta sexta-feira (24), o sistema do banco deve receber os cadastros realizados no aplicativo do dia 11 ao dia 17. “A expectativa é que hoje a gente receba aqueles cadastros que estavam de posse da Dataprev. São mais 7 milhões de cadastros e a expectativa é que no mais tardar amanhã, tenhamos a informação de aprovação ou não aprovação pra esses lá no site lá no app e as pessoas possam consultar a sua situação”, disse.

Mathias explicou que houve uma demanda acima do esperado, mas que ajustes foram realizados para suportar a quantidade elevada de acessos simultâneos. “Nós temos dois aplicativos: um é o de cadastramento. Nesse aplicativo, nós tivemos mais de 50 milhões de downloads, dos quais geraram, tanto no app quanto no site, cerca de 46 milhões de cadastros concluídos, finalizados e encaminhados pelos brasileiros.

O outro aplicativo que é destinado aqueles brasileiros que não tinham conta em banco ou não indicaram uma conta pra receber o seu benefício, é o Caixa Tem, que faz a abertura de maneira automática e gratuita de uma poupança social digital. Esse aplicativo também cerca teve cerca de 40 milhões de downloads nos últimos dias. Ele precisou passar por algumas adequações para dar mais estabilidade. Chegamos a ter quase meio milhões de acessos simultâneos”, disse.

Nesta semana, o Ministério da Cidadania informou que quem se cadastrou entre os dias 7 e 10 de abril e até agora não foi confirmado como elegível para receber auxílio emergencial pode retornar ao aplicativo da Caixa Econômica Federal e revisar o cadastro. “O objetivo é facilitar novos cadastramentos e, principalmente, a revisão dos cadastros já realizados, que, por diversas razões, não tiveram a sua elegibilidade confirmada.

Os cadastrados entre 7 e 10 de abril que até o presente momento não foram confirmados como elegíveis podem retornar ao aplicativo e revisar seu cadastro”, informou a pasta nesta quinta-feira (23), por meio de nota.

A Caixa liberou até quarta-feira (22) mais de R$ 22 bilhões do auxílio emergencial do governo federal para cerca de 31 milhões de pessoas, e foram registrados mais de 45 milhões de cadastros no aplicativo criado pelo banco estatal. Já foram transferidos R$ 31,2 bilhões para a Caixa, que irão atender, até o final do mês, incluindo beneficiários do Bolsa Família, mais de 43 milhões de pessoas, segundo o Ministério da Cidadania.

Na quarta-feira (22), o Ministério da Cidadania informou que o governo está impedido legalmente de fazer a antecipação da segunda parcela. De acordo com a pasta, foi uma recomendação da Controladoria Geral da União (CGU).

Seu auxílio emergencial continua em análise

“Como era uma estimativa de valor com base no Cadastro Único, e a quantidade de pessoas aparenta ser maior do que o planejamento inicialmente feito, o que nós alertamos era que não realizássemos o pagamento de uma parcela antes de se verificar que o pagamento da primeira foi praticamente encerrado, ou pelo menos tem uma estimativa de um número total de pessoas, e o tanto que eu necessitaria de incremento na quantidade de recursos orçamentários para cobrir esses valores”, disse o ministro da CGU, Wagner do Rosário, durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto, na tarde desta quinta-feira (23).

Compartilhe