Sem chegar a acordos, Vitória se vê atrasado em processo de renovações

Sem chegar a acordos, Vitória se vê atrasado em processo de renovações

Sem aprovação do orçamento e ainda estudando o cenário financeiro deixado pela última gestão para 2018, o Vitória do presidente Ricardo David, eleito no último dia 13, deverá fechar 2017 sem anunciar, oficialmente, nenhuma contratação ou renovação.

A única transação que a nova diretoria praticamente fechou foi a venda de David, orçada em R$ 10 milhões mais manutenção de 23% dos direitos econômicos do atleta, para o Cruzeiro. Não oficialmente, o Leão está acertado com o atacante Denilson, que jogou no São Paulo. Além disso, está com renovação encaminhada com o volante Uillian Correia até o final de 2019.

O empresário dele, Márcio Mello, disse que faltavam apenas “detalhes” para finalizar o documento. A rescisão com o Cruzeiro já foi concluída.

O diretor de futebol, Erasmo Damiani, admitiu que o Vitória está tentando manter todos os atletas que não tiveram seus contratos renovados neste mês e que foram liberados.

Dois deles são os laterais Caíque Sá e Juninho, e o terceiro – cujas negociações têm se arrastado – é o zagueiro Kanu.

De acordo com o empresário de Kanu, Otacílio Lima, o zagueiro de 33 anos “merecia uma valorização por conta do papel que desempenhou no clube desde que chegou”.

Tratativa emperrada

O problema é dinheiro: o Vitória afirma que não tem como valorizar o atleta por conta do rombo no caixa, e o jogador pede uma melhoria salarial.

À rádio Metrópole, o jogador afirmou que aceitaria uma renovação ganhando 30% a mais que o salário atual – cerca de R$ 100 mil – , mas o Rubro-Negro pediu para diminuir o valor do ordenado do beque.

Na reunião do Conselho Deliberativo, na última segunda-feira, foi aprovado um orçamento emergencial de R$ 16 milhões para os dois primeiros meses de 2018, já que a proposta do ex-presidente Agenor Gordilho, em R$ 77 milhões para os 12 meses, foi vetada. Sem citar nomes, o presidente Ricardo David disse que será difícil renovar com alguns atletas por conta do vazamento da folha salarial do elenco.

“Temos um atleta que temos todo o interesse na renovação, tivemos três reuniões exaustivas para renovar contrato. Mas sabem qual o ponto que não está batendo e que talvez não seja possível? É que ele sabe quanto todos os atletas do Vitória ganham. Ele tem esse número. Provavelmente não conseguiremos essa renovação”, disse, durante a reunião do Conselho.

“Eu, particularmente, se fosse jogador de futebol e estivesse do lado de fora, pensaria duas vezes antes de vir para o Vitória. É a verdade”, acrescentou o dirigente.

De acordo com o relatório do Conselho Fiscal, elaborado em outubro, o Vitória chegaria ao final de 2017 com um rombo de R$ 10 milhões. Ao assumir, Ricardo David disse que a situação financeira do clube era “pior do que o esperado”.

fonte: ATarde

Compartilhe