Portaria publicada pela Ufba proíbe alimentar animais nos campi e causa polêmica

Segundo a universidade, a medida visa a proteção de pessoas e animais

Uma portaria publicada pelo reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), João Carlos Salles, vem causando polêmica. Nela, a instituição proíbe a alimentação de animais nos campi. A medida é questionada por alguns estudantes, que se manifestaram nas redes sociais. O reitor, por sua vez, afirmou em nota que a portaria 001/2018 visa a proteção de pessoas e animais.

No documento, a instituição determina que os estudantes, técnicos administrativos, docentes e trabalhadores terceirizados “se abstenham de alimentar animais” nos campi.

Para o reitor, o ato é para evitar alguns riscos, como “à integridade física da comunidade Ufba”,  “à saúde pública decorrentes de zoonoses da proliferação de animais sinantrópicos (ratos, baratas, etc)” e dos próprios “animais que circulam nos campi da Ufba em razão da intervenção humana”.

No Facebook, alguns internautas compartilharam a portaria e declararam que não estavam de acordo com a decisão.

“E o dia começa com o ABSURDO o senhor Reitor da UFBA, João Carlos Salles Pires da Silva, proibindo que os animais comunitários dos Campus sejam alimentados ferindo, assim, preceito fundamental da Constituição Federal em que é OBRIGAÇÃO DO PODER PÚBLICO e consequentemente seus órgãos CUIDAR DA FAUNA BRASILEIRA, o que está incluso a Fauna Urbana.
🌟 Entidades de Proteção aos Animais já estão tomando as providências para que esse absurdo não ocorra.” Patruska Barreiro

“Absurdo é pouco. Esperar o que de uma cidade como Salvador , onde não se respeita os animais, as universidades federais , estaduais e particulares de veterinária dessa cidade não faz nenhuma caridade, se você pegar um animal na rua e levar pra uma dessas instituições te cobram o olho da cara. Reitor o você pra mim é lixo humano.”Adéle Lins

“Absurdo dos absurdos , não podemos deixar isso acontecer , o que ele está fazendo é inconstitucional” Bárbara Leite

“Sr. João Carlos Salles este é um ato de crueldade imenso. Ao interferir no ato de ajuda que se tem aos animais em condição de abandono o senhor propõe ou cria qualquer outro tipo de subsídio para sobrevivência destes animais ? Se há proliferação de ratos e baratas, pq não criar locais específicos para que estes sejam alimentados ao invés de impedir que os alimentem ? Fica o questionamento.” Fanny Oliveira

Novo comunicado

Após a polêmica, a universidade publicou nesta quarta-feira, 16, uma nota sobre a decisão. A instituição afirmou que “esclarecemos, então, que a portaria 001/2018 recentemente publicada… não visa proibir a presença de animais, nem a proibir sua alimentação na Ufba”, mas que serve para “ordenar os espaços mais apropriados e organizar melhor esse importante cuidado” aos animais. Leia íntegra:

“A Administração Central considera de extrema importância a elaboração de uma política em relação aos animais que habitam os campi da UFBA, garantindo sua saúde e bem-estar, sem descuidar, porém, da fundamental segurança de estudantes, técnicos e docentes, bem como das pessoas que nos visitam (…) Esclarecemos, então, que a Portaria 001/2018 recentemente publicada, exortando a comunidade a se abster de alimentar animais em certos locais, não visa proibir a presença de animais, nem a proibir sua alimentação na Ufba, mas sim ordenar os espaços mais apropriados e organizar melhor esse importante cuidado”.

Fonte: A Tarde
Compartilhe