Por que as crianças se comportam pior quando a mãe está por perto?

Por que as crianças se comportam pior quando a mãe está por perto?

Por que as crianças se comportam pior quando a mãe está por perto?

Quando o seu filho está no parquinho com o pai, tudo corre completamente bem. Mas logo que ele chega em casa e te vê, aquele pequeno arranhão que ele teve quando estava ao lado do pai se torna simplesmente insuportável, e ele começa a chorar. Há pouco tempo atrás, o arranhão era tão pequeno que nem merecia uma menção.

Leia mais: 6 coisas que pais de primeira viagem precisam saber

Então qual é problema? Certamente você sabe sabe o que é ser mãe e tem a experiência em conhecer o pior lado de seu filho. Você é aquela responsável por receber todas as birras ou lidar com todas as lamentações? A suas suspeitas não te enganam, pois estudos têm provado este fenômeno. A maioria das crianças se comportam pior na presença das mães.

O que está acontecendo?

A minha filha, que acabou de fazer cinco anos, uma vez chegou em casa depois de ter brincado normalmente com o pai no parquinho. Eu estava ansiosa para ver minha segurar minha feliz menina de novo depois de ter certeza que ela tinha passado por uma agradável tarde com o pai. Mas eu abri a porta e tive uma visão completamente diferente – os olhos da minha filha estavam arregalados e nada felizes.

A minha filha começou a tremer, e então as lágrimas apareceram. Entre os suspiros ela conseguiu explicar que havia machucado a sua perna terrivelmente. Quando fui ver com o pai o que havia acontecido, ele ficou então tão confuso quanto eu estava, afinal, há apenas uma hora atrás tudo estava perfeitamente bem, e o arranhão não a incomodava de maneira nenhuma.

Muitas pessoas conhecem esta situação na qual os filhos, choramingando, se jogam nos braços das mães. Às vezes pode ser também uma furiosa batida de porta na cara da mãe, mesmo quando a criança tem apenas cinco anos de idade. Este comportamento é impensável para uma criança se ter diante dos adultos ou mesmo dos próprios pais.

Estudo explicam o fenômeno

Pesquisas e estudos agora explicam que as crianças na verdade agem pior diante das mães. Este é o caso em 800% das vezes. É claro que o grau de veracidade do estudo pode ser questionado, mas muitas mães podem testemunhar de maneira que sustente estes resultados.

Quando eu pego minha filha na creche, eu recebo a notícia de que ela se comportou bem todo o dia. Mas as coisas parecem ser bem diferentes no caminho para a casa quando estamos juntos, pois agora ela começa a falar sobre cada uma das coisas que deram errado no seu dia. Minha filha me explica que uma ou outra criança se comportou muito mal, e então ela fica triste por qualquer motivo. Quando eu pergunta se algo de bom aconteceu, ela apenas se lembra do pudim que teve na sobremesa.

Mães são depósitos de emoções

As crianças parecem querer apenas despejar todas as suas emoções negativas nas suas mães. Este fenômeno leva muitas mães ao limite. Afinal, a maioria das mães hoje em dia têm muitos trabalhos e tarefas exaustantes antes de pegarem os filhos na escola ou creche. Acontece também, que hoje em dia as mães precisam suportar os dramas ou explosões de raiva dos filhos. O motivo é óbvio – as crianças acham que só podem ser elas mesmas quando estão na presença da mãe. Elas começam a ser mais verdadeiras e a agir sem filtros. Uma criança não precisa agir com coragem ao lado da mães. Elas não precisam ter medo de não serem amadas quando chorarem ou começarem a gritar.

Apenas a mamãe pode ver o lado ruim

Para as mães, isso significa que elas precisam suportar todos os sentimentos desagradáveis de seus filho, pois aparentemente elas são verdadeiros depósitos de lixo. Contudo, é possível amar seu próprio filho infinitamente, e a criança sabe disso. Para as crianças, a mãe é sempre o seu porto seguro e uma rocha firme para se descansar antes de voltar às águas perigosas. A criança pode sempre confiar em sua mãe quando a pressão ou sentimentos precisam ser aliviados. Pirraças e berros são, portanto, bastante normais e devem ser considerados como um verdadeiro elogio para as mães. Afinal, isso não significa nada além de uma enorme confiança de que o filho entende o quanto a mamãe o ama, independente de seu comportamento.

Tudo isso cria bases para uma autoconfiança saudável para a criança. Caso contrário, algo importante do desenvolvimento infantil não estaria completo. Os seus filhos só precisam saber o quanto são amados.

Fonte: apost.com

Compartilhe