menino

Nesta quinta-feira (7), o casal foi acusado de espancar o menino, mantê-lo por horas sem se alimentar e gravá-lo ferido e pedindo por água e comida

Um casal do condado de Warwickshire, na Inglaterra, foi acusado de maltratar e matar um menino de 6 anos. Em audiência realizada nesta quinta-feira (7), o pai do garoto, Thomas Hughes, 29, e sua namorada Emma Tustin, 32, foram julgados pelos crimes de agressão, lesão corporal e assassinato. O pequeno Arthur Labinjo-Hughes morreu em 17 de junho de 2020.

Leia mais:  Homem faz tatuagem no ÂNUS em protesto contra Bolsonaro

No julgamento, os promotores apresentaram materiais que provam que o menino sofreu agressões físicas e psicológicas nas semanas anteriores a sua morte. Segundo eles, Emma gravou mais de 200 arquivos de vídeo e áudio mostrando Arthur em “vários estágios de angústia”, pedindo por ajuda da babá e dos tios paternos. “Por favor, me ajuda, me ajuda, tio. Eles não estão me dando comida, eu preciso de um pouco de comida e bebida”, disse o menino em uma das gravações.

O advogado de acusação, Jonas Hankin, alegou que o menino estava sujo, magro e debilitado no dia em que foi encontrado morto em casa. Ele estava sob a guarda do pai desde que sua mãe biológica, Olivia Labinjo, foi condenada por assassinato em fevereiro de 2019. “As evidências indicam que Arthur foi abusado física e verbalmente, isolado, o acesso a alimentos e bebidas foi controlado ou restrito, ele foi privado de confortos básicos de vida, como uma cama e roupas”, disse ao júri.

O dia do crime

Arthur faleceu em 17 de junho de 2020. Laudos feitos pela perícia indicaram que ele morreu por causa de um trauma na cabeça, decorrente de batidas repetidas contra uma superfície dura. A hipótese da acusação é a de que Emma tenha sido a responsável pelas agressões.

Segundo os promotores, tudo aconteceu enquanto o menino estava sob os cuidados dela. A namorada teria batido no enteado e, depois, usado o celular para fotografá-lo, enquanto agonizava no corredor de casa. Apesar de estar com o telefone na mão, ela levou 12 minutos para acionar o serviço de emergência. Ela disse aos médicos que o menino havia caído e que, enquanto estava no chão, havia batido mais cinco vezes a cabeça.

Arthur sofreu uma parada cardíaca e foi levado ao Birmingham Children’s Hospital. Exames mostraram que ele tinha “contusões extensas em todas as partes do corpo” e sangramento no cérebro, devido à “escassez de oxigênio e suprimento sanguíneo”. “Resultados bioquímicos anormais levantaram hipóteses de que Arthur também havia sido envenenado com sal”, completou o advogado de acusação. Horas depois de receber atendimento médico, o menino não resistiu.

Histórico de agressões ao menino

Em abril de 2020, a avó paterna do menino alertou o serviço social de que o neto talvez pudesse estar sendo maltratado. A família havia notado hematomas nas costas do menino e presenciou cenas de Emma o empurrando contra a escada e proferindo xingamentos sobre sua aparência e personalidade.

As autoridades fizeram uma visita à casa de Arthur dias depois e alegaram que “nenhuma preocupação deveria ser considerada”. Fotos das contusões também foram enviadas à polícia e nenhuma outra ação foi tomada.

Um minuto, por favor…

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras custa tempo e dinheiro. Nós, do DEOLHO News, temos o compromisso diário de levar até os leitores conteúdos críticos, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Se você acredita no nosso trabalho, apoie da maneira que puder ou, se preferir… Faça uma Doação CLICANDO AQUI

Compartilhe