Pobre Lauro de Freitas, até quando…

Lauro de Freitas vive um desgaste tão  grande na política que vemos gestores incompetentes, testados e reprovados por sua falta de administração com o dinheiro público, sendo aclamados como a solução que durante 16 anos não veio.

Uma câmara legislativa omissa e que diz amém pra tudo em nome do caos para nossa cidade.

Vereadores de até 20 anos de mandato que agora se intitulam como: novos tempos para Lauro de Freitas. Passando o bastão de vereador para sua irmandade como sucessores permanentes de uma cadeira.

Uma oposição fraca e sem direção, que ataca mais com luvas de algodão, que com luvas de couro. Não enxergam há um palmo dos seus narizes, o dever de fiscalizar seus próprios colegas em nome da camaradagem.

As pessoas sendo levadas a acreditarem pelos puxas sacos de plantão que merecem uma segunda, terceira ou até quarta chance, tentando convencer que são os melhores para nossa cidade.

As lágrimas dos crocodilos voltam a escoar nos rostos daqueles que usam a doença para sensibilizar o povo, o vitimismo para se protegerem com suas irresponsabilidades, pois sabem que o fim do mandato executivo está próximo.

Pobre Lauro de Freitas, tão rica em arrecadação. Com mais de 700 milhões de reais por ano, nunca é suficiente para gerir as finanças do município.

Sem saúde, sem emprego, infraestrutura, cultura, esporte, lazer, saneamento básico sem nada. Nossa querida Santo Amaro de Ipitanga, amarga a dor de ter escolhido administradores que não administram nada. Reis da incompetência continuada.

Dinheiro público indo pelo ralo ou para os bolsos de seus compadres políticos, empresários e lideranças sem liderança moral.

E o que vemos nas redes sociais, são as críticas que deveriam ser para aqueles que provaram e que continuam provando sua incompetência sendo direcionadas a aqueles pré-candidatos que nunca concorreram a nada. Sendo generalizados e crucificados sem ao menos terem a oportunidade de provar sua capacidade de gerir uma cidade.

Antigos políticos que parecem mais aqueles maridos que espancam suas esposas durante anos, e pedem mais uma segunda chance dizendo que dessa vez vai ser melhor, porque os anos de sofrimento não foram suficientes.

Às vezes temos que mudar de direção, virar a chave para uma renovação e acreditarmos que o que  falta é respeito pelo povo, pelo dinheiro público, falta amor pelas pessoas.

A cidade resiste a tanto desmando, mas já demonstra claramente seu cansaço diante de tantos descasos.

Precisamos acordar, pedir uma nova cara para Lauro de Freitas.

A nossa cidade não precisa de jegues risonhos, de gestores carismáticos, de sorrisos largos, de tapinhas nas costas. A nossa cidade precisa de administração séria, para renovar as nossas vidas, por nós e por nossos filhos.

Texto: Léo de Topó

instagram: @leodetopo

Compartilhe