Motoqueiro fantasma passou na Baixa da Soronha e deixa mais uma vítima

Motoqueiro fantasma passou na Baixa da Soronha e deixa mais uma vítima.

Motoqueiro fantasma… Um homem de identidade ainda não identificada, foi vitima de um motoqueiro ” fantasta” na Baixa da Soronha localizada em Itapoan.

Pessoas disseram que um homem em uma moto efetuou vários disparos de arma de fogo matando um induvidou que estava usando apenas cueca.

A policia ainda não sabe quem atirou ou o que motivou o crime.

Motoqueiro fantasma

Atualizando…

Leia também:

Mulher que matou a pequena Isabella, deixa a cadeia para o dia das crianças

O famoso justiceiro volta a ser pauta nos principais sites do norte e nordeste. Recentemente um acontecimento ocorrido no Pará voltou a trazer a pauta do “Motoqueiro Fantasma”.

Seria ele um justiceiro ou um bandido? O fato é que até agora as informações que se tem é que se trata de um policial que extermina quem se envolve com tráfico de drogas, assaltos e homicídios.

Em julho de 2015 um delegado piauiense negou completamente a existência do tal motoqueiro, porém, populares conseguem caracterizar e identificar as atuações do suposto policial. Sempre quando há mortes em série de criminosos no norte e nordeste já é comum o povo associar como sendo “vítimas” do Motoqueiro Fantasma.

Algumas pessoas já estão identificando que o Motoqueiro Fantasma faz parte é um grupo de policiais, afirmam até que ele tem uma página no Facebook com aproximadamente meio milhão de seguidores e sempre faz postagens polêmicas a respeito de criminosos.

Nas redes sociais, segundo internautas, ele posta vídeos que enaltecem a polícia militar, emite opiniões polêmicas a repeito da pena de morte para os crimes de latrocínio, assaltos, homicídio, tráfico drogas e estelionato. O suposto Motoqueiro é apontado como defensor da redução da menor idade penal e conquista muitos adeptos da opinião: “bandido bom é bandido morto”.

Contudo o Motoqueiro não consegue só despertar a simpatia das pessoas, há muitos que o perseguem e o xingam nas redes sociais. Alguns por defenderem teses políticas contrárias, as dele chegam a deixar subentendido que os menores infratores são vítimas das desigualdades sociais e sequelados.

 

Compartilhe