Moradores de condomínios de luxo ignoram quarentena em Lauro de Freitas

Lauro de Freitas: condomínios de luxo ignoram toque de recolher 

Município impôs toque de recolher na semana passada

O caso de Anderson Talisca levou as atenções para Lauro de Freitas – município que é quase um irmão da capital Salvador dada a proximidade entre as duas cidades. Lauro começou o seu toque de recolher na última semana e vem registrando alguns casos em que é necessária a intervenção do Poder Público para que as medidas sejam respeitadas.

quarentena em Lauro de Freitas

Talisca não foi o único a ser notificado no último final de semana. Em nota, a Prefeitura de Lauro de Freitas afirmou que fechou o último domingo com 1.362 abordagens orientativas e de conscientização, ainda sem penalizar os infratores.

A maioria das abordagens se concentrou nas entradas da Estrada do Coco (Km-1 e Km-7,5), onde as equipes da operação de segurança montaram bloqueios com viaturas, cones e gradis, para orientar condutores e passageiros de veículos.

O Centro Integrado de Mobilidade Urbana (CIMU) recebeu 30 denúncias de aglomeração e poluição sonora, no domingo, durante o período de restrição que vai das 20h às 5h da manhã

Moradora do luxuoso Condomínio Parque Encontro das Águas, o mesmo onde aconteceu o caso de Anderson Talisca, Juliana** afirma que diminuiu o número de casos que presenciou após o decreto do toque de recolher. Contudo, ligou para a polícia nas últimas duas semanas para denunciar aglomeração e poluição sonora em casas vizinhas. Segundo a prefeitura de Lauro de Freitas, no último domingo a polícia precisou solicitar que pessoas aglomeradas em bares da região fossem para suas respectivas casas. 

“Eu espero que siga reduzindo, mas sabemos que há festas dentro de várias casas de luxo por aqui. Às vezes o barulho extrapola, primeiro pedimos ligamos para a portaria e, se não der jeito, acionamos a polícia. As pessoas têm que entender que está chato para todo o mundo ficar em  casa, preso, e que se continuarem fazendo essas festas o isolamento só vai demorar mais pra acabar”, contou a moradora, que pediu para ter sua identidade preservada.

O decreto que determina o toque e recolher em Lauro de Freitas é válido até o próximo dia 24 de maio. Morador de Villas do Atlântico, o autônomo Alisson Moraes afirma que por lá, em geral, as pessoas estavam cumprindo o isolamento. Ele diz que incomodava um pouco ver que alguns restaurantes ficavam aglomerados para retirada de alimentos, mas que isso foi diminuindo com o tempo.

“Quando preciso sair para comprar alguma coisa ou ir ao mercado fico observando esse tipo de situação e por aqui em geral está tranquilo”, diz.

Compartilhe