Me tornei uma pessoa pública para ser cantora, não pra falar de política, diz Ivete

Me tornei uma pessoa pública para ser cantora

Me tornei uma pessoa pública para ser cantora, não pra falar de política, diz Ivete

Se você é fã, certamente já viu Ivete Sangalo falar sobre MUITOS assuntos: música, seus fãs, seu filho, sua infância e até mesmo sobre questões sérias, como homofobia.

Leia mais: Anitta perde 500 mil seguidores após #EleNão contra Bolsonaro

No entanto, pode perguntar e insistir, a diva baiana não fala sobre política, de jeito nenhum. Em entrevista ao programa de Amauri Jr., Ivete finalmente explicou o motivo de ser tão discreta sobre sua escolha nas urnas e até mesmo sobre a atual crise política que o Brasil atravessa.

“Você tem muito poder, o que você falar passa a ser uma ordem e tem uma ressonância fantástica… Você nunca pensou em interferir?”, perguntou o apresentador.

“Eu vou te falar uma coisa: A responsabilidade está exatamente ai. Quando eu me tornei uma pessoa pública, eu me tornei porque sou uma cantora. É um equívoco muito grande achar que um artista, ele tem que dar opinião sobre assuntos dos quais ele não tem total compreensão. Isso é irresponsável.

Eu poderia muito bem me colocar à frente, fazendo discursos de arroubos de circunstâncias das quais eu não tenho total controle nem noção, pois têm assuntos que você vai passar uma vida inteira e não vai compreender. Já outros, você tem total convicção. Mas eu não gosto de levantar assuntos sobre os quais eu não vou ter responsabilidade para assumir até o fim dessa caminhada.

O que eu propus ao público foi ser uma cantora. Responsabilidade, aquele tem que ter quando se propõe a ser um político, alguém que veio para transformar, é realmente transformar. Essa é a grande responsabilidade. A minha responsabilidade paira sobre os meus shows, e sobre falar de coisas que sejam de comum acordo e que jamais mudarão na minha cabeça, como: a homofobia, que é crime, tem que prender [os agressores].”

Ivete, que recentemente falou sobre um caso de agressão de um casal de fãs em uma apresentação sua em São Paulo, falou ainda sobre a importância de que a lei seja aplicada. “Tem que fazer valer essa lei, porque isso é um absurdo.

Não existe um porquê de alguém agredir outra pessoa por uma orientação sexual, por uma religião, por uma cor de pele, por sexo, por classe social, porque o elevador social, elevador de serviço, não. Dai eu vou até o fim.”

Rainha é rainha, né amores?

Assista a entrevista:

Me tornei uma pessoa pública para ser cantora, não pra falar de política, diz Ivete

Me tornei uma pessoa pública para ser cantora, não pra falar de política, diz Ivete

Publicado por DEOLHO NEWS em Terça-feira, 25 de setembro de 2018

Compartilhe