Mãe injeta água sanitária em sua bebê e motivo choca a todos

Mãe injeta água sanitária em sua bebê

Mãe injeta água sanitária em sua bebê

A mãe admitiu que injetava água sanitária e sabão líquido em sua bebê desde quando ela tinha um mês de vida

Uma mãe admitiu ter injetado diversas vezes água sanitária e sabão líquido em sua bebê desde que a pequena tinha apenas um mês de vida. O caso, que ocorreu em Istambul na Turquia,  só veio à tona quando a menina já tinha 18 meses e a própria mãe foi à polícia confessar seu crime. Mãe injeta água sanitária em sua bebê…

Leia mais: Imagens fortes: Ex de Eduardo Costa arranca lábio de outra mulher com mordida

Ao longo de todo este período a mãe, identificada pela imprensa local como Elif K, torturou sua filha. Em depoimento para a polícia, Elif afirmou: “Desde que ela tinha um mês de vida eu injetava sabão líquido e água sanitária em seus ouvidos, nariz e umbigo até começar a sangrar”.

Ela continuou e afirmou: “Então eu a levava para o hospital para tratamento. Quando ela voltava para casa, eu continuava a tortura. Eu também a cortava. Quando ela estava no hospital, eu também injetava o sabão liquido ou a água sanitária em suas veias, quando ninguém estava por perto”.

Elif vivia com o marido, Eray K e os três filhos em Avcilar, distrito de Istambul. Elif só confessou seu crime após sua filha ter sido internada pela terceira vez no hospital. Foi o pai quem levou a menina pela primeira vez para o hospital, ela estava com os ouvidos sangrando.

Nesta primeira ida ao hospital, os médicos não conseguiram identificar qual era o problema e a bebê voltou para casa. Quando sua condição piorou, aos 9 meses de vida, a menina foi levada para o hospital Istanbul University Medicine Faculty Hospital.

Após diagnosticarem que a pequena estava com uma fratura no crânio, arranhões e machucados no corpo inteiro, os médicos suspeitaram dos pais e entraram em contato com a polícia que iniciou uma investigação. A mãe foi interrogada, mas depois foi liberada após ter convencido os policiais que era inocente.

Quando a criança tinha 18 meses e foi levada para o hospital Kanuni Sultan Suleyman Hospital com a saúde ainda mais deteriorada, os médicos proibiram a mãe de ter acesso a sua filha. Foi só então que a saúde da menina começou a melhorar.

Diante da melhora, as suspeitas dos médicos de que a mãe estava cometendo maus tratos contra a filha aumentaram e a polícia foi contatada mais uma vez. Foi então que a mãe admitiu ter torturado a filha durante todos aqueles meses. Ela está presa e aguarda o julgamento. A criança está sob os cuidados do pai e sua saúde melhora a cada dia.

Compartilhe