Lauro de Freitas

A inauguração do Pronto Atendimento Santo Amaro de Ipitanga, em Lauro de Freitas, que foi realizada ontem (15) criou um certo burburinho nas redes sociais, após a prefeita e secretário discutirem durante transmissão ao vivo sobre a finalidade do PA.

No vídeo a prefeita Moema Gramacho está dialogando com o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas e mostra que estava um pouco desatualizada quanto a real finalidade do pronto atendimento. Segue um trecho da conversa:

Lauro de Freitas

Moema – A nossa ideia inicial é que a pessoa passe no posto e de lá venha para cá.

O secretario então rebate – Não, a intenção é que a pessoa venha diretamente para esse pronto atendimento, o último lugar que eles devem ir é para o posto. Está gripado, tem que vim direto para cá, todo mundo gripado tem que vim para cá. Não para o posto, nem para emergência e nem para a UPA.

Após a inauguração, a prefeitura enviou uma nota explicando as funcionalidades do local.

Segundo o texto, neste primeiro momento, a unidade será utilizada exclusivamente para atender pacientes com sintomas de gripe e problemas respiratórios. “Essa é uma unidade de suporte, com teste, análise e possivelmente diagnóstico.

https://www.facebook.com/100000465836352/posts/4351651314860353/?d=n

Na sala vermelha, há três leitos com ventilação mecânica e monitor multimétrico onde podemos aferir pressão, batimentos cardíacos e saturação de oxigênio. Além disto, contamos com uma sala para realização de exame de raio X”, informou a secretária municipal de Saúde, Maria Isabel Andrade que esteve presente no evento de inauguração.

O local conta com quatro consultórios, sala de inalação, sala de coleta, além de sala de hidratação, sala de isolamento e sala vermelha, assim como sete leitos de observação e três leitos para pacientes com quadros agravados. Todos os leitos possuem suporte de oxigênio sendo três para ventilação mecânica invasiva.

A unidade funcionará sob esquema de plantão 24h com acolhimento exclusivo a pacientes que apresentem quadros respiratórios ou sintomas gripais, operando com o sistema “porta aberta”, realizando a triagem dos casos, estabilização, ou regulando para hospitais do estado.

Por Irani Nogueira

Compartilhe