Homem mata esposa após flagrar traição dentro de casa! Veja

Homem mata esposa após flagrar traição dentro de casa

Homem mata esposa após flagrar traição dentro de casa

Suspeito ficou foragido por 21 dias e confessou crime à polícia

Adão de Carvalho Júnior foi preso em flagrante após confessar ter matado a esposa ao vê-la com outro rapaz dentro de casa. Bruna Aparecida Rodrigues Pediani tinha 30 anos. Homem mata esposa após flagrar traição dentro de casa…

Leia mais: Jovem virgem que nunca namorou dá à luz um menino

De acordo com o G1 Santos e Região, o suspeito estava foragido desde o dia que o corpo a vítima foi encontrado, no dia 1º de fevereiro. Em depoimento, o homem disse que consumia crack com Bruna no dia do crime.

Quando a droga acabou, um conhecido levou mais entorpecentes até a residência do casal, passando a consumir com eles. A droga acabou novamente e, desta vez, Júnior é quem saiu para comprar mais.

Na volta, ele disse ter encontrado Bruna o traindo com o homem, que fugiu logo após o flagrante. Ainda em depoimento, ele confessou ter dado um ‘mata-leão’ na vítima, golpeando-a com uma faca, no peito, em seguida. Ele fugiu do local deixando a faca cravada no corpo da vítima. Júnior permaneceu preso na unidade.

Homem mata esposa após flagrar traição dentro de casa

O caso

A ararense Bruna Aparecida Rodrigues Pediani, 30 anos, foi encontrada sem vida em sua residência no bairro Vila Universitária na Zona Leste de Mogi Mirim (SP). A mulher já se encontrava alguns dias sem realizar nenhum contato. Seu atual companheiro, Adão de Carvalho Junior, é o principal suspeito do crime.

Segundo informações após sentirem um forte odor vindo da residência a alguns dias, vizinhos decidiram acionar a Polícia Militar (PM) que se deslocaram ao local e ao adentrarem no interior da residência onde localizaram o corpo em avançado estado de decomposição em um dos quartos sobre a cama, e apresentava ferimento a faca.

O local foi isolado e a Polícia Civil foi acionada para realização de Perícia. O Corpo foi conduzido ao IML (INSTITUTO MÉDICO LEGAL) e posteriormente liberado a família para sepultamento. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil. O suspeito não foi preso.

Compartilhe