Louro José

Louro José pode ter sido morto por envenenamento e família pede exumação do corpo

A morte de Tom Veiga, intérprete do Louro José, que causou comoção nacional, está prestes a ganhar um novo capítulo. Isto porque, segundo o colunista Leo Dias, do Metrópoles, a família desconfia que a causa da morte pode ter sido envenenamento, e não Acidente Vascular Cerebral (AVC) hemorrágico provocado por um aneurisma.

Veja também: Decisão pode enterrar a Banda Legião Urbana sobre disputa no STJ

Tom faleceu em 1º de novembro de 2020. Ele foi encontrado morto dentro de casa, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Na época, chegou a se especular que a causa da morte tenha sido por Covid-19, mas um laudo do Instituto Médico Legal (IML) mostrou que Veiga sofreu uma hemorragia intra-craniana por conta de um aneurisma cerebral.

Cinco meses após a morte do ‘Louro José’, pessoas próximas revelaram a Leo Dias que a família estaria pensando em mandar exumar o corpo de Veiga, por suspeitar de envenenamento. Conforme fontes, a ex-mulher dele, Cybelle Hemínio da Costa Veiga, teria conseguido que ele fizesse um testamento e a incluísse. Dessa forma, ela teria direito a uma pensão de R$ 18 mil reais por um ano.

Louro José

Ainda segundo o colunista, dias antes de falecer, Veiga teria tentado retirar o nome de Cybelle do inventário. O site EXTRA teve acesso a áudios que ele teria enviado a um amigo nos dias 29 e 30 de outubro de 2020, onde fala sobre o cancelamento do documento.

Além de pedir a exumação, familiares do intérprete também pensam em retirá-la do testamento. A família, no entanto, ainda não se pronunciou sobre o caso oficialmente.

Compartilhe