Empresários podem ficar sem dinheiro 

Com diversas recomendações ao público para que permaneçam em casa, para evitar aglomerações e impedir ao máximo aglomerações na cidade e combater à proliferação do coronavírus, o fluxo de passageiros nos ônibus vêm reduzindo notavelmente. Especificamente 64% a menos de passageiros nesta segunda-feira (23).

Veja também: Mandaram todo mundo ir pra casa. E nós, que não temos casa?, chora morador de rua

A informação foi dita pelo prefeito ACM Neto, durante entrega da Unidade de Saúde da Família San Martin III, na Avenida San Martin, Retiro. Ele afirmou que vem se reunindo com empresários, representantes dos rodoviários e com o secretário municipal de mobilidade, Fábio Mota.

“O transporte público não deixa de ser um lugar muito ptopício para a disseminação docornavírus. Não há quem mantenha as empresas de ônibus, que estão vivendo há algum tempo uma crise muito séria. Chegou num ponto que a queda do número de passageiros registrada ontem foi de 64%. Isso significa 64% a menos de faturamento do sistema. E nós não reduzimos 64% da frota. Só que a conta tem que ser paga por alguém”, afirmou.

Neto revelou preocupação com a instabilidade atual dos empregos dos 14 mil rodoviários da cidade.

Há um risco sério do empresário não ter dinheiro para pagar o salário dos rodoviários. E aí você tem um colapso completo no sistema”, pontuou o prefeito, que revelou que, em uma das conversas com o chefe municipal da mobilidade urbana, pediu reorganização nos ônibus, para que os que estão com menor número de passageiros passe a auxiliar linhas mais cheias.

Empresários podem ficar sem dinheiro

“Agora, o caminho é pedir às pessoas que fiquem em casa. Estamos preocupados com aglomerações. As pessoas precisam nos ajudar, precisam fazer sua parte. Estamos nesse nível de tensão e preocupação. Estou fazendo tudo o possível, no limite da minha responsabilidade, para evitar que isso aconteça”, frisou Neto.

Compartilhe