Rui Costa

Bahia tenta criminalizar paredões por conta da violência

Sem conseguir controlar o crescente número de homicídios no estado, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), parece ter encontrado onde colocar a responsabilidade pela violência: os paredões, festas animadas por som automotivo, que ocorrem nas periferias da capital e cidades do interior.

Leia mais:  Homem faz tatuagem no ÂNUS em protesto contra Bolsonaro

No dia 13 deste mês, ele decidiu proibir a realização de paredões em todo o estado. O anúncio ocorreu após um tiroteio que resultou em seis mortes e 18 feridos durante uma festa de rua no bairro do Uruguai, em Salvador.

A justificativa do governo é a violência, o uso de armas e o tráfico de drogas, que seriam facilitados nessas aglomerações, além dos incômodos causados pelas festas nas comunidades por conta do excesso de pessoas, ruas fechadas e som nas alturas durante a madrugada dos finais de semana.

Após a publicação da coluna, o governo da Bahia negou que tenha proibido a realização de paredões. “As festas são possíveis, desde que autorizadas previamente pelas prefeituras de cada cidade e comunicadas previamente à Polícia Militar, para que o policiamento ocorra de forma planejada, garantindo a segurança de todos”, disse o governo, por meio de nota.

Um minuto, por favor…

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras custa tempo e dinheiro. Nós, do DEOLHO News, temos o compromisso diário de levar até os leitores conteúdos críticos, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Se você acredita no nosso trabalho, apoie da maneira que puder ou, se preferir… Faça uma Doação CLICANDO AQUI

Compartilhe