raiva humana

Prefeito e diretora da UPA de Teófilo Otoni informaram ao Estado de Minas que uma menina, de 12 anos, da mesma etnia, foi trazida para BH com os mesmos sintomas de raiva humana

Um adolescente indígena, de 12 anos, da aldeia maxacali, morreu em Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, com a suspeita de raiva humana, após ter sido mordido por um morcego hematófago. Uma menina, de 12 anos, da mesma etnia, foi encaminhada para o Hospital João Paulo II, em Belo Horizonte, também com a suspeita da doença viral, conforme informou ao Estado de Minas a diretora da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Teófilo Otoni, Danielle Avelar. A informação também foi confirmada pela Fhemig.

Veja também: Homem faz tatuagem no ÂNUS em protesto contra Bolsonaro

O garoto morreu na segunda-feira (04/04), na UPA da cidade do Vale do Mucuri. Ele deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento no dia anterior, vindo do hospital de Machacalis (174 quilômetros de Teofilo Otoni, na mesma região). O menino era da aldeia Pradinho, da etnia maxacali, no município de Bertópolis, distante 195 quilômetros de Teófilo Otoni.
O prefeito de Teófilo Otoni, Daniel Sucupira (PT), disse que a familia do adolescente informou que ele havia sido mordido pelo morcego na área maxacali 10 dias antes, mas continuou recebendo “tratamento” apenas com os rituais indígenas, até que o caso se agravou e foi encaminhado para o atendimento médico hospitalar.

Conforme informações da UPA de Teófilo, o menino apresentou sintomas como agressividade, vômitos, dores, febre e dificuldades para andar. Os sintomas se agravaram e evoluíram para morte. Como ele relatou ter sido mordido por um morcego, o caso passou ser considerado suspeito de raiva humana.

Por enquanto, não há diagnóstico de confirmação da doença. A diretora da UPA de Teófilo Otoni informou que foi colhido material para exame em laboratório em São Paulo, que vai confirmar a causa da morte. Danielle Avelar disse que uma menina de 12 anos também teria sido mordida por um morcego na aldeia macaxali.
Ontem à noite, após apresentar sintomas e o quadro se agravar, ela foi encaminhada de ambulância de Macachalis para a UPA da cidade. Porém, a garota nem chegou a dar entrada na Unidade de Pronto Atendimento de Teófilo Otoni. Isso porque, informou Danielle, foi conseguida uma vaga para a criança em um hospital de Belo Horizonte, para onde ela foi encaminhada na madrugada de hoje. A mesma informação foi dada pelo prefeito de Teófilo Otoni, Daniel Sucupira. A Fhemig nega que haja paciente com suspeita de raiva internado no hospital.

Um minuto, por favor…

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras custa tempo e dinheiro. Nós, do DEOLHO News, temos o compromisso diário de levar até os leitores conteúdos críticos, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Se você acredita no nosso trabalho, apoie da maneira que puder ou, se preferir… Faça uma Doação CLICANDO AQUI

Compartilhe