Aliado de Moema tenta comprar Coca Branco com vagas de emprego na prefeitura

Moema tenta comprar Coca Branco

Aliado de Moema tenta comprar Coca Branco

Segundo informações passadas para o site DEOLHO NEWS de uma fonte que trabalha na câmara de vereadores de Lauro de Freitas, um edil que e aliado da prefeita Moema Gramacho (PT) teria oferecido diversas vagas de emprego na Prefeitura ao vereador da oposição Coca Branco (PPS) em janeiro desse ano para ele ficar de bico calado. Aliado de Moema tenta comprar Coca Branco.

Veja também: Corpo de mulher é encontrado com recado na barriga, no norte do Paraná

Ainda segundo informações que não quis se identificar, o mesmo vereador que tentou comprar o silencio do edil, afirmou que a atual prefeita não teria qualquer problema com Coca Branco e que queria ele do lado dela.

Veja também: Professor de catequese estupra 12 crianças da família dele

A mesma fonte que passou as informações, disse que o vereador que propôs um acordo seria alguém muito ligado a prefeita e que era vereador de outros mandatos na câmara.

Moema tenta comprar Coca Branco

Entramos em contato com o vereador Coca Branco, mas o mesmo preferiu não comentar sobre o assunto.

Lauro de Freitas é a segunda cidade mais violenta do Brasil

O município de Lauro de Freitas ganhou destaque na imprensa nacional de uma forma trágica: é a segunda cidade mais violenta do Brasil, de acordo com o Atlas da Violência 2017, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), tendo como base os dados de 2015.

Com uma população de 191.436 habitantes, Lauro de Freitas registrou 177 homicídios, o que equivale a uma taxa de 92,5%. O município baiano só perde para a cidade de Altamira (PA), cuja taxa é de 105,2%. Simões Filho (84,1%), Teixeira de Freitas (72,2%) e Porto Seguro aparecem na lista dos dez municípios mais violentos do Brasil.

Brasil
A pesquisa do IPEA e FBSP utilizou a base de dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade, do Ministério da Saúde, em 2015. Neste ano houve 59.080 homicídios no país, o que equivale a uma taxa por 100 mil habitantes de 28,9%.

Para se ter uma noção do absurdo, em apenas três semanas, o total de assassinatos no Brasil supera a quantidade de pessoas que foram mortas em todos os ataques terroristas no mundo, nos cinco primeiros meses de 2017, e que envolveram 498 casos, resultando em 3.314 indivíduos mortos.

Compartilhe